Qua
14
março
2018

Voltar

Foco Portugal no DañsFabrik 2018
Image

O festival DañsFabrik decorre em Brest entre os dias 13 e 17 de março. Para a sétima edição, a organização convidou Tiago Guedes, diretor artístico do Festival DDD — Dias da Dança, para fazer a curadoria do Focus on Portugal. A programação proposta inclui projetos de dança em palco, no espaço público e uma instalação, todos eles coproduzidos ou apresentados anteriormente no Porto.


Jonathan Uliel Saldanha, construtor sónico e cénico que passou pelo DDD em 2017, com “O Poço”, apresentará a instalação “Vocoder & Camouflage: Tactics of Decay”, ao longo do festival. Esta é uma investigação a longo prazo sobre acústica subterrânea, usando a vibração de luz, som e gases exalados pelo processo orgânico de decomposição para exaltar o perecimento da floresta.


De 14 a 16 de março, a coreógrafa Cláudia Dias apresenta o segundo momento do seu projeto “Sete Anos Sete Peças”. “TERÇA-FEIRA: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar”, apresentado na edição do ano passado do Festival DDD, consiste numa narrativa visual, usando uma linha para contar a história de uma criança de dez anos que foge da Síria para Itália. De modo a evitar a formação de preconceitos, os performers nunca chegam a verbalizar uma palavra que seja, com o intuito de criar distância entre as suas realidades e a dura jornada dos refugiados.

A artista Ana Rita Teodoro estará em dose dupla. “Melte” está agendada para 15 de março, sendo que já teve lugar na primeira edição do DDD, em 2016. O projeto aborda a possibilidade de um corpo em derretimento, com vista a destrinçar a anatomia e tornar-se num outro corpo. O segundo espetáculo, “Fantôme méchant / Assombro”, acontece nos dias 16 e 17 de março. Trata-se de uma procura pela compreensão, através da dança, de canções tradicionais portuguesas, os fantasmas que nos assombram no tempo vigente. Estes serão invocados, as suas vozes ouvidas e, posteriormente, dissociadas, com intenção de transgressão.

Vera Mantero apresenta “Os Serrenhos do Caldeirão” no dia 16 de março, espetáculo que constou do programa do Festival DDD de 2016. A peça debruça-se sobre a desertificação/desumanização da Serra do Caldeirão, no Algarve. Mantero lança um forte olhar sobre hábitos de vida tradicionais e rurais de norte a sul do país, misturando imagens de filmes de Michel Giacometti. Trata-se de um retrato alargado dos habitantes da Serra do Caldeirão, donos de uma sabedoria em extinção, mas que urge em ser recuperada.

No último dia do festival, 17 de março, Marco da Silva Ferreira apresenta “Brother”, espetáculo que estreou no 85º Aniversário do Teatro Rivoli. Uma performance de mímica permanente entre os artistas, geradores de movimento, comportamentos e padrões. Na edição do Festival DDD - Dias Da Dança de 2018, o espetáculo “Brother” também será apresentado no dia 27 de Abril, no Auditório Municipal de Gaia em cruzamento com o IETM Porto Plenary Meeting 2018 .

O DañsFabrik também contará com o DJ set de José Reis, no Cabaret Vauban, no dia 16 de março.

newsletter

Porto

MatosinhoS

Gaia