Seg
26
março
2018

Voltar

Rua do Almada transformada em quarteirão DDD

Foi na Rua do Almada que o público conheceu os nomes que vão atuar na terceira edição do festival. A apresentação do programa do DDD teve lugar na passada quinta-feira, dia 22 de março, na mala voadora, o seu mais pequeno espaço. O DDD 2018 faz-se de salas de tipologias e escalas muito diferentes, desde a mala voadora ao Coliseu Porto, passando também pelo espaço público das três cidades.

Às 18h, na apresentação à comunicação social, estiveram presentes os três presidentes da câmara das cidades envolvidas – Rui Moreira, CM Porto, Luísa Salgueiro, CM Matosinhos e Eduardo Vítor, CM Gaia –, assim como o diretor artístico do festival, Tiago Guedes.

Rui Moreira destacou os números do festival – 12 salas de espetáculo e seis espaços ao ar livre recebem os 35 espectáculos, que incluem 15 estreias absolutas e 13 estreias nacionais, revelando, ainda, o êxito da parceria intermunicipal. Em sintonia esteve o discurso da autarca de Matosinhos. Luísa Salgueiro lembrou a importância da união dos três municípios envolvidos, outrora noticiados pela rivalidade e competição. Por sua vez, Eduardo Vítor, presidente da CM de Gaia, partiu da sigla DDD para destacar três doutrinas fundamentais – dedicação, desenvolvimento e discordância: dedicação dos três municípios em melhorar as suas relações, desenvolvimento das regiões e discordância com as políticas centralistas vigentes.

Nesta edição, o DDD avança com um formato reformulado: além dos três segmentos que já existiam anteriormente – DDD IN, DDD OUT e DDD EXTRA –, junta-se a novidade do DDD PRO, um conjunto de workshops para bailarinos profissionais. Tiago Guedes deu ênfase às estreias e às 14 nacionalidades envolvidas na totalidade dos projetos.

No final, o protocolo da Frente Atlântica foi assinado.

Terminada a conferência de imprensa, já o público descobria a programação nas montras da Rua do Almada. Os apontamentos visuais e performativos de cada loja prenderam a atenção de quem lá passava, revelando alguns dos espetáculos de uma forma diferente: Amala Dianor, (La)Horde, Miguel Pereira, Farruquito, Lea Moro, António Lago & Susana Chiocca, João Fiadeiro, Radar 360º, Mara Andrade, Ana Rita Teodoro, Joana Providência / Teatro do Bolhão, Carte Blanche / Bouchra Ouizguen e Cie. Dyptik.

O DDD 2018 arranca, precisamente, de hoje a um mês.

newsletter

Porto

MatosinhoS

Gaia