Ter
1
maio
19:00
Armazém 22 — Gaia
5,00
MARTA TAVARES, MARIANA AMORIM & TOM HOLMAN-SHEARD, GUILHERME DE SOUSA E PEDRO AZEVEDO, DARIA KAUFMAN, RENAN MARTINS DE OLIVEIRA, SÉRGIO DIOGO MATIAS
CURTAS DE DANÇA
Image
Ter
1
maio
19:00
Armazém 22 — Gaia
5,00

newsletter

Curtas de Dança é uma mostra de trabalhos de curta duração, focando-se na apresentação de objetos artísticos experimentais com uma forte vertente laboratorial. Foram selecionados três projetos de vídeo e três projetos performativos: “Um pé na Constituição” apresenta-nos o trabalho de uma bailarina, Cláudia Dias, cujas batalhas são travadas no exercício da arte, um espaço de liberdade e protesto. “Speeches” analisa os candidatos e respetivos discursos por altura das presidenciais portuguesas de 2016. Em “2 dedos de pesto” um par de mãos cozinham, mas a comida vai, pouco a pouco, ganhando vida, num jogo de sobrevivência e domínio. “Bound” é um solo de dança-teatro que explora feminilidade, persona e restrição. “Fracasse Melhor” é fracassar. Desafiar-se a fracassar. E neste caso talvez não fracassar. Escapar o contexto do fracasso e sua definição. “Insólido” explora e procurar a ilusão de uma pedra, de uma massa negra em pontual movimento.


2 DEDOS DE PESTO
Partindo da sequência de imagens de um par de mãos que cozinham, exploramos neste vídeo algumas questões, de sobrevivência e de domínio: Quando nós precisamos de comida e esta não precisa de nós, quem é que domina quem? A confecção de um prato de comida serve, neste trabalho, um sentido real e metafórico sobre questões de dominação/submissão. Um par de mãos elabora uma refeição, deparando-se, durante essa preparação, com uma inversão de papéis - a comida vai, a pouco e pouco, ganhando vida, fazendo menção de, ela própria, passar a devoradora, tentando comer as mãos. As mãos que lhe deram corpo.

UM PÉ NA CONSTITUIÇÃO
Um pé na Constituição apresenta-nos o trabalho de uma bailarina, Cláudia Dias, cujas batalhas são travadas no exercício da arte, um espaço de liberdade e protesto. A palavra une-se à performance e à dança, uma união que faz despertar consciências e revela a urgência de intervenção e mudança. Neste documentário, a arte da performance é o mote para lembrar o artigo 42º da Constituição da República Portuguesa, onde é consagrada a liberdade de criação cultural. Associadas à dança estão também as componentes educativa e política, cujas actividades são verdadeiras efectivações dos direitos constitucionais. Este projecto tem como objectivo integrar um conjunto de documentários sobre a Constituição, ilustrativos de alguns dos artigos e seus reflexos na vida quotidiana dos cidadãos. Este trabalho surge a propósito da celebração dos 40 anos da Constituição da República Portuguesa.

SPEECHES
Por altura das presidenciais portuguesas de 2016 decidimos analisar os dez candidatos e seus respectivos discursos, aprofundadamente. Acabamos por seleccionar os discursos de apresentação de campanha, e o discurso final do vencedor. Abordamos a gestualidade intrínseca a cada candidato e também a cada temática, assim como o som da palavra utilizada em cada um dos discursos. Palavras/conceitos como democracia, pessoas, desemprego, imigração, união europeia e refugiados são utilizadas por cada um dos dez candidatos de diferentes formas. Inspirados pelo trabalho de Nam June Paik e aproveitando as nossas valências na área da dança e música a nossa proposta consiste numa instalação de video num televisor a preto e branco, fabricado na Coreia do Norte, que o público pode ligar e desligar quando quiser. A ideia geral é questionar o valor e a ainda grande influência deste objecto que nos garante uma felicidade concentrada e à distância de um botão redondo.

FRACASSE MELHOR/FAIL BETTER
Como o título sugere, FRACASSE MELHOR é fracassar. Desafiar-se a fracassar. E neste caso talvez não fracassar. Escapar o contexto do fracasso e sua definição. Fracasse Melhor (solo) é o resultado de um convite feito pela PARTS (Performing Arts Research and Training Studios) para a celebração dos 20 anos desde sua inauguração. Renan Martins de Oliveira revisita Passacaglia Op. 1 de Anton Webern, peça de música dançada por ele em Re:Zeitung de Anne de Teresa de Keersmaeker e Alain Franco. Em Re:Zeitung, movimentação abstrata improvisada e coreografada propõe uma relação específica entre dança e música. Relação característica do trabalho de Anne de Teresa de Keersmaeker onde os bailarinos incorporam a complexidade da música sendo cada um deles instrumentos ou vozes, criando ou improvisando material e respeitando a partitura musical. Em Fracasse Melhor (solo) Renan Martins de Oliveira aprofunda esta relação para além da partitura e mergulha nas diferentes atmosferas e texturas que esta peça musical propõe. Incorpora a complexidade da música de Webern, se transformando num canal onde liricismo, intimidade, saudade, desejo e utopia coexistem. FAILBETTER é uma linha tênue que divide o grotesco do ordinário, onde a composição é um subproduto da trajetória emotiva do performer, que para o presente formato, conta com a interpretação de Thamiris Carvalho.

INSÓLIDO

Explorar e procurar a ilusão de uma pedra, de uma massa negra em pontual movimento. Construir um personagem silhueta, um corpo negro inscrito num universo próprio em que as fisicalidades se alteram com formas variadas, através da exploração do peso, do peso contido no corpo, no todo e nas partes. Cria-se a ilusão de humanização: de uma escultura que ganha vida, uma existência. Evocar aquilo que não se vê, mas que possui uma carga física de peso e de sustentação e que se traduz num esforço ou na sua hipérbole. A linguagem leva a uma referência artística e ao universo da obra de Antony Gormley, Critical Mass, 1995.


BOUND
Criado e executado por Daria Kaufman, Bound (título de provisório) è um novo solo de dança teatro que explora feminilidade, persona e restrição. Como assumimos diferentes aparências? Como subvertemos as suas limitações? Esta peça divide-se em diferentes quadros, cada um marcado por um carácter e fisicalidade próprios, formando uma série de histórias curtas. Ao longo dessas narrativas fragmentárias, Kaufman explora diferentes formas de restrição e a personas variadas. Como estas fachadas ocultam e revelam simultaneamente? Como pode o público tornar-se cúmplice da construção destas ilusões juntamente com a performer?

Um pé na Constituição
Com a participação de Cláudia Dias • Produção, realização, pós produção Marta Tavares • Música Nuno Oliveira • Mistura e masterização Nuno Oliveira e Rui Carvalho • Agradecimentos Companhia de Dança de Almada, Manifesto em Defesa da Cultura, Jaime Neves, Karas, Sérgio Carvalho

Speeches
Colaboração Mariana Amorim e Tom Holman-Sheard • Coreografia e interpretação Mariana Amorim • Sonoplastia, composição musical e edição vídeo Tom Holman-Sheard • Aconselhamento dramatúrgico Silvia Pinto Coelho • Registo de vídeo Dinis Sottomayor • Registo fotográfico Cassilda Rodrigues, Tom Holman-Sheard, José Caldeira

2 dedos de pesto
Criação Guilherme de Sousa & Pedro Azevedo • Interpretação Guilherme de Sousa • Direção Artística Pedro Azevedo • Filmagem e montagem Rita Al Cunha

Bound
Criação e interpretação Daria Kaufman • Desenho de luz Tasso Adamopoulos • Figurinos Ana Baleia • Produção Sezen Tonguz ⁄ Bazen Produção • Residências artísticas Cultivamos Cultura, Polo Cultural Gaivotas, Atelier Real

Fracasse Melhor
Direção Renan Martins de Oliveira • Interpretação Thamiris Carvalho • Fotografia Renan Martins de Oliveira

Insólido
Criação, interpretação Sérgio Diogo Matias • Som Sérgio Bernardo Gregório • Caracterização Sérgio Diogo Matias • Agradecimentos Vânia Rovisco, Sara Zita Correia, Jorge Bragada • Apoio de produção Vaca Magra — Associação Cultural • Duração total aprox. 1h

O Curtas de Dança é organizado pelo Armazém 22 e o DDD. Os projetos foram selecionados através de um Open Call.

24 ABR — 12 mAI 2019

Porto

MatosinhoS

Gaia