Sáb
5
maio
22:00
TM Matosinhos Constantino Nery — Matosinhos
10,00EUR
ZOO ⁄THOMAS HAUERT
INAUDIBLE

Estreia Nacional

Image
Gregory Batardon
Sáb
5
maio
22:00
TM Matosinhos Constantino Nery — Matosinhos
10,00EUR

newsletter

Um confronto entre interpretação musical e coreográfica.

Em “inaudible” [Inaudível], uma peça para seis intérpretes, várias formas de interpretação atuam em conjunto, dando origem à experiência artística. Interpretações musicais do “Concerto em Fá” de George Gershwin compõem a banda sonora para improvisações coreográficas. Thomas Hauert serve-se de peças musicais existentes, as quais coloca em estreita correlação com partituras coreográficas, improvisações estruturadas associadas à música. Os bailarinos são confrontados com o “Concerto em Fá”, de Geor- ge Gershwin, e com “Ludus de Morte Regis”, do compositor contemporâneo Mauro Lanza. Procurando sempre novas abordagens à dança, Hauert inverte o princípio de sincronização da música com as imagens e permite que os movimentos acompanhem diretamente a música. O resultado é uma coreografia concentrada e pormenorizada, um conjunto de movimentos fascinantes que tornam tangível a experiência musical. Ao desconstruir códigos e camadas culturais, “inaudible” proporciona um jogo entre arte elitista e cultura popular, entre sedução sem rodeios e expectativas enganadoras.


M/12

Thomas Hauert após a sua formação na Academia de Dança de Roterdão, mudou-se para Bruxelas em 1991. Dançou durante três anos com a companhia Rosas, de Anne Teresa De Keersmaeker. Depois, colaborou com Gonnie Heggen, David Zambrano e Pierre Droulers. Em 1998, fundou a sua companhia, ZOO, em Bruxelas. Desde então, criou mais de 20 espetáculos, os quais foram apresentados pelo mundo. A relação com a música – todo o tipo de música, da pop à contemporânea, passando pelo jazz ou barroco – tem um papel decisivo no seu trabalho. Os seus métodos de ensino são reconhecidos internacionalmente e foi professor nos Estúdios de Pesquisa e Formação em Artes Performativas (P.A.R.T.S.), em Bruxelas. Desde 2013, Thomas Hauert é diretor académico do bacharelato em dança contemporânea na Escola Superior de Artes Cénicas La Manufacture, em Lausana.

Conceção e direção Thomas Hauert • Criação e interpretação Thomas Hauert, Fabian Barba / Federica Porello, Liz Kinoshita, Albert Quesada ⁄ Sarah Ludi, Gabriel Schenker, Mat Voorter • Música George Gershwin, Concerto in F; Mauro Lanza, Ludus de Morte Regis • Luz Bert Van Dijck • Colaboração musical Ircam Martin Antiphon • Som Bart Celis • Figurinos Chevalier-Masson • Produção ZOO/Thomas Hauert • Coprodução Kunstenfestivaldesarts, Charleroi danse – Centre chorégraphique de la Fédération Wallonie-Bruxelles, La Bâtie-Festival de Genève, PACT Zollverein (Essen), CDC Atelier de Paris-Carolyn Carlson, Ircam – Centre Pompidou (Paris), Théâtre Sévelin 36 (Lausanne), Centre chorégraphique national de Rillieux-la-Pape • Apoio Fédération Wallonie-Bruxelles-Service de la danse, Pro Helvetia – Fondation suisse pour les arts, Loterie Nationale, Vlaamse Gemeenschapscommissie, Ein Kulturengagement des Lotterie-Fonds des Kantons Solothurn, Wallonie-Bruxelles International, Wallonie-Bruxelles Théâtre ⁄ Danse Studio Charleroi dance, Grand Studio, Centre chorégraphique national de Rillieux-la-Pape • Duração aprox. 1h10

24 ABR — 12 mAI 2019

Porto

MatosinhoS

Gaia