Qui
10
maio
2018
19:00
Palácio do Bolhão — Porto
7,50EUR

Voltar

MIGUEL PEREIRA
PEÇA FELIZ
Palácio do Bolhão — Porto
Image
Bruno Simão

O paradoxo do mundo em que vivemos, entre a as-sunção de uma realidade difícil e a idealização de um mundo melhor.

Um show de variedades ou um musical são exemplos de formatos artísticos com bastante impacto no imaginário cultural ocidental, normalmente enquadrados na categoria do entertainment, fruto de uma certa herança cultural, para não dizer política. Refletem uma estruturação ideológica da ocupação e divisão do tempo: o tem- po do entretenimento vs. o tempo do trabalho; o tempo do prazer vs. o tempo da obrigação. A exploração comercial de um espetáculo também me pareceu um bom ponto de partida para questionar o outro lado da máquina de ilusão. Este projeto nasceu há cerca de quatro anos quando recebi um convite para fazer uma peça em Inglaterra. Nessa altura estávamos em plena crise financeira, antes do Brexit. Numa pesquisa inicial descobri a canção “Happy Days Are Here Again” [“Os dias felizes estão de volta outra vez”], criada em 1929 por Milton Ager e Jack Yellen no contexto da Grande Depressão dos EUA e um símbolo de esperança, que se tor- nou numa espécie de pano de fundo do nosso trabalho. — Miguel Pereira


M/16

Miguel Pereira estudou na Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa e a Escola Superior de Dança de Lisboa. Foi bolseiro em Paris (Théâtre Contemporain de la Danse), em Nova Iorque com uma bolsa do Ministério da Cultura e em Amsterdão. Como intérprete trabalhou com Francisco Camacho, Vera Mantero, entre outros. Como criador destaca os trabalhos "Antonio Miguel", peça com a qual recebeu o Prémio Revelação José Ri- beiro da Fonte do Ministério da Cultura e uma menção honrosa do prémio Acarte/Maria Ma- dalena Azeredo Perdigão (2000), "Notas Para Um Espectáculo Invisível" (2001), "Data/Local" (2002), "Corpo de Baile" (2005), "Karima meets Lisboa meets Miguel meets Cairo", uma colaboração com a coreógrafa egípcia Karima Mansour (2006), "Doo" (2008) e mais recentemente "Op. 49" (2012).

Conceção, direção Miguel Pereira • Interpretação Sofie Burgoyne, António Onio • Participação, figuração Ana Esteves Brandão, Catarina da Silva,
Catarina Marcos, Catarina Saraiva, Diogo Cadete, Filipa Raquel, Gabriela Marcos Souza, Inês Maria Garrido, Inês Marques, Isabel Vale, Liliana Costa, Luís Duarte Moreira, Luís Silva Barreto, Pedro Couto, Soraia Gurgo
• Assistência Pietro Romani • Música Milton Ager, Leonard Bernstein, Ígor Stravinski, Tchaikovsky • Edição Sonora e Arranjos Miguel Feraso Cabral • Desenho de Luz Eduardo Abdala • Colaboração (Espaço cénico, figurinos) André Guedes • Produção O Rumo do Fumo • Coprodução Maria Matos Teatro Municipal no âmbito da rede Create to Connect com o apoio do Programa Cultura da União Europeia , Teatro Municipal do Porto ⁄ Festival DDD – Dias da Dança • Residência Artística Teatro Maria Matos – Estúdio Tobis • Apoio Dance 4 (Nottingham), National Lottery ⁄ Arts Council England (1a fase do projeto), EGEAC, Companhia Nacional de Bailado, Teatro Nacional D.Maria II e Embaixada da Austrália • Agradecimentos Nuno Lucas e António Júlio • O Rumo do Fumo é uma estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura, DGArtes - Direção Geral das Artes • Duração aprox. 1h15

newsletter

Porto

MatosinhoS

Gaia