Ter
7
maio
22:00
Fundação de Serralves Auditório — Porto
7,50 EUR
JOÃO DOS SANTOS MARTINS
COMPANHIA
Image
Ter
7
maio
22:00
Fundação de Serralves Auditório — Porto
7,50 EUR

newsletter

Companhia marca o reencontro de João dos Santos Martins com a equipa de Projeto Continuado (2015), dando continuidade aos processos de colaboração e investigação então iniciados e marcados por relações de afeto e labor.

Companhia investe esteticamente na ideia de dança enquanto trabalho, utilizando, para isso, casos de estudo que examinam, por exemplo, a sistematização do movimento operário na relação estabelecida com as máquinas, de onde surge um conceito de coreografia enquanto tecnologia ou prótese. Em paralelo, reflete-se sobre como determinadas estéticas de dança, de ambições libertárias e democráticas, estão implicadas na redução dos pontos de tensão do corpo, implementando técnicas de eficácia na concretização do movimento, utilização energética e redução de esforço como alternativa ao modernismo rígido e ideologicamente “exterior” ao corpo.

JOÃO DOS SANTOS MARTINS (Santarém, 1989) estudou dança e coreografia em várias instituições na Europa entre 2007 e 2011. Trabalha como coreógrafo e bailarino desde 2008, articulando a sua prática em diversas colaborações expressas em peças como Le Sacre du Printemps (2013) com Min Kyoung Lee, Autointitulado (2015) e Onde está o Casaco? (2018) com Cyriaque Villemaux, e Antropocenas (2017) com Rita Natálio. Em 2017 organizou o ciclo Nova—Velha Dança em reflexão sobre a história recente da dança em Portugal onde, juntamente com a historiadora Ana Bigotte Vieira, desenvolveu uma timeline para documentar coletivamente estas práticas. A sua peça Projecto Continuado (2015) recebeu o prémio da Sociedade Portuguesa de Autores para Coreografia em 2016.

De João dos Santos Martins • Em colaboração com Ana Rita Teodoro, Clarissa Sacchelli, Daniel Pizamiglio, Filipe Pereira, João dos Santos Martins, Sabine Macher • Encomenda
Maria Matos Teatro Municipal • Residências artísticas O Espaço do Tempo, Nave, Smup — Sociedade Musical União Paredense, Opart/Companhia Nacional de Bailado/ Estúdios Victor Córdon • Apoios CCB, Culturgest, Rua das Gaivotas6, Companhia Olga Roriz, Incrível Almadense, Causas Comuns, Teatro do Eléctrico • Produção e difusão Circular Associação Cultural • Coprodução Teatro Municipal do Porto, Maria Matos Teatro Municipal • Duração aprox. 1h30


24 ABR — 12 mAI 2019

Porto

MatosinhoS

Gaia